20/07/2018 11h17 - Atualizado em 20/07/2018 11h17

 

Acima de tudo, porém, tende amor intenso uns para com os outros, porque o amor cobre multidão de pecados. 1Pedro 4:8 ARA

 

Num casamento, se não houver perdão diário e amor incondicional para doar, o relacionamento não permanece. Somos pecadores (Romanos 3:23) e somente o amor de Jesus revelado na cruz através de sua morte pode preencher nossas necessidades espirituais. Assim, como num casamento, o relacionamento de Jesus conosco é baseado no amor que cobre tudo. Sem isso, não teríamos esperança. Esse amor que Jesus doou deve permear nossas ações, reuniões, conversas, profissão, ministério, família, ou seja, qualquer área da vida e atingir a todos a nossa volta.

 

Em nossa comunidade, tenho acompanhado inúmeras pessoas que foram livres da culpa lancinante, do passado atormentador, da escravidão das intercomparações, do excesso de futuro e dos ídolos do coração. Isso somente foi possível porque elas decidiram se voltar para Cristo e se apropriar do seu perdão amoroso. O amor de Jesus cura tudo. Não há pecado que o amor se Jesus não cubra. Pontuo a seguir o que o amor do Senhor cobre, quando Pedro nos fala sobre "multidão de pecados".

 

A) O amor cobre pecados com perdão

 

A força do perdão destrói qualquer emoção destrutiva, porque sua fonte é divina. Se para Deus nada é impossível, para o perdão de Deus  também não há impossibilidades. Somente pessoas perdoadas conseguem dar o que receberam. Por isso, não negarão essa decisão poderosa a si mesmos e aos outros. Por tanto, devemos perdoar. O amor de Jesus nos leva a perdoar porque fomos perdoados.

 

B) O amor de Jesus cobre o passado

 

Uma das maiores curas que ocorreu em minha vida, há muitos anos, foi a libertação das raízes de amargura que acumulava. Quando Cristo colocou o remédio, aprendi o que significa amar, perdoar, servir, ser humilde e simples. Todos os dias luto para ser como Jesus. É uma escada de descida, rumo à negação do "eu" diariamente. Não há nada mais libertador para a alma humana do que o amor de Jesus invadindo nossa história. A cada dia que passa meu desafio é imitá-lo, amando com o Seu amor.

 

C) O amor de Jesus cobre a autoexigência

 

Exigimos de nós mesmos, punimo-nos com o autoflagelo da culpa pelos erros dos outros. Mas não precisa ser assim! Não acumulemos lixo emocional dos outros. Você pode ajudar as pessoas, ser empático e não depositar no coração suas mazelas e dramas. Não ajude os outros com a sua força, leve as pessoas sempre a Jesus, na força do Senhor. Ele é forte, você é fraco. Deixe o lixo na cruz de Jesus, que expiou os pecados mais terríveis, seus e dos outros. Somente assim você dormirá bem, conforme o Salmo 4:8 afirma: "... logo pego no sono".

 

D) O amor de Jesus cobre os pecados dos outros contra nós

 

Quando alguém o ferir ou trair, ame com o amor de Jesus, não com seu amor. Interrompemos nossas afeições pelos outros com rapidez quando somos ofendidos. Entretanto, o amor de Jesus não para de jorrar da cruz. Portanto, leve tudo a Cristo, que morreu pelos seus erros cometidos contra outros e pelos pecados dos outros contra você. Ame, sem medida. Perdoe decididamente. Pague o mal com o bem. A distribuição da graça que recebemos diariamente é o maior remédio para a alma humana. Afinal, o amor cobre tudo, como diz a Escritura: "... porque o amor cobre multidão de pecados". 1Pedro 4:8b

 

Enfim, a vida do seguidor de Cristo é encarnacional, baseada no amor. Assumir o ministério da encarnação de Cristo amando intencionalmente é condição inegociável para ser frutífero. Se não amar a todos, inclusive aos algozes prejudicadores, o cristão não será bem sucedido em nada. Amemos como Jesus, de forma intensa, pois esse é o coração do Evangelho. O amor cobre tudo em nós - não temos o direito de negá-lo aos outros por quem Jesus também morreu.

 

Rev. Thiago Gigo